Cérebro: como ele se adapta a esse cenário de mudanças?

16 de junho de 2020

Como está o seu cérebro diante da situação atual em que estamos vivendo?

Ele está tentando se adaptar e se readaptar a esse “novo normal”, através da reação de luta ou fuga – reação cerebral que acontece em situações de perigo, no momento atual, social e físico. As principais formas de reação são através da luta, ataque ou do travamento. Depois de 90 dias que estamos vivenciando esse momento é muito provável que já tenhamos escolhido qual é a nossa reação padrão:

– Ataque: tentando fazer tudo, com a ansiedade alta, com a cabeça funcionando sem parar e pensando muito no futuro.

– Fuga: tentar não pensar em nada do que vai acontecer, fazer apenas o que é necessário para não sobrecarregar o nosso pensamento.

-Trava: paralisar pensamentos quando a mente está muito confusa, ficando sem saber o que fazer.

O importante é entender que é normal e esperado que as pessoas estejam com a memória de curto prazo danificado, ou seja, o esquecimento de pequenas coisas do nosso dia a dia. Isso acontece porque o nosso sistema nervoso está enviando muita energia para adaptar a nossa cabeça para esse cenário atual e, por isso o cérebro precisa priorizar qual parte será ativada e a área da memória em curto prazo não é prioridade.

Também é normal que a gente sinta a oscilação de humor: alternando em dias de esperança e dias de preocupações.

O mais importante nisso tudo é perceber que a pandemia nos obrigou a pensar novamente na necessidade de conexão. Nós somos humanos biologicamente preparados para nos conectar e a conexão é uma das únicas partes do nosso cérebro que já está em pleno funcionamento quando nascemos e vamos esquecendo-se dessa importância ao longo da nossa vida. Nesse momento que estamos convivendo muito com as pessoas ou tendo o mínimo de convívio com outras conseguimos perceber que fazer tudo sozinho é um caminho que nos faz muito mal.

Podemos usar essa situação para entender que para nós ficarmos bem e produzirmos mais, precisamos colaborar com os outros e aceitar ajudas, pois assim, conseguimos voltar a funcionar como o nosso cérebro foi biologicamente programado: saindo da tensão, sentindo-nos suportados e reconectados durante o processo de mudança.

Franciele Maftum
#éhorademudaromundo

Vídeo Base: Como o nosso cérebro se adapta a esse cenário de mudanças– 2020